Lula volta a MG para lançar PAC das cidades históricas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta amanhã a Minas Gerais, onde visitará cinco municípios e lançará, em Ouro Preto, região Central do Estado, um Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) voltado à recuperação e preservação das cidades históricas do País. Na semana passada, a visita de Lula ao Estado para vistoriar obras de transposição do Rio São Francisco recebeu críticas da oposição sob argumento de que foi uma campanha eleitoral disfarçada.

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

20 Outubro 2009 | 20h19

O objetivo do programa a ser lançado em Minas, conforme o presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Luiz Fernando de Almeida, é criar uma política pública permanente visando ao desenvolvimento econômico destas cidades.

O programa será implantado a partir deste ano, com a destinação de R$ 140 milhões a 32 cidades históricas. O orçamento total prevê a aplicação de R$ 250 milhões por ano pelos próximos quatro anos, a partir de 2010, e poderá incluir 173 cidades históricas localizadas em diversos Estados.

Os investimentos serão estabelecidos a partir dos planos de ação definidos pelas prefeituras das cidades históricas. Segundo Almeida, o PAC é uma extensão do Programa Monumenta, que contou com investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e cujas obras serão concluídas até o final de 2010.

Oposição

O roteiro de Lula na visita ao São Francisco, que contou com a presença da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência, vem sendo alvo de uma série de questionamentos pelo DEM e pelo PSDB, que devem protocolar representação contra o presidente e a ministra no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para os partidos de oposição, a viagem da semana passada foi campanha eleitoral disfarçada e fora do período eleitoral. A assessoria de imprensa da Casa Civil ainda não confirmou a participação da ministra nos compromissos desta semana em Minas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.