Lula volta a defender reforma no conselho da ONU

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender hoje a reforma da Organização da Nações Unidas (ONU), particularmente do Conselho de Segurança. "Estamos convencidos de que a tentação do unilateralismo tenha agravado a séria instabilidade política internacional", disse o presidente hoje, em pronunciamento conjunto ao presidente da Namíbia, Sam Nujoma, para justificar a reforma da ONU.Segundo Lula, o presidente da Namíbia reiterou seu apoio à aspiração do Brasil de tornar-se membro permanente do Conselho de Segurança. Para Lula, essa avaliação vale sobretudo para os esforços em favor de uma solução justa e duradoura para o processo de paz do Oriente Médio, inclusive para o rápido estabelecimento da soberania do povo iraquiano. Durante o encontro que tiveram hoje na capital paulista, os dois presidentes consideraram também que a África deve ter um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, além de mais assentos não-permanentes. Lula e Nujoma reafirmaram, ainda, a necessidade de combate ao terrorismo e às ameaças à paz e à segurança internacional, em conformidade com a carta das Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.