Lula volta a atacar oposição em discurso no MT

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, voltou a atacar a oposição nesta terça-feira, menos de três dias depois de propor conversas com líderes do PSDB. Em um discurso a agricultores do Mato Grosso, na cidade de Sapezal, a 480 quilômetros de Cuiabá, Lula disse que, ao assumir o poder em 2003, o País estava em situação "delicada". "O Brasil não conseguia exportar o que produzia e tinha pouca reserva em dólar para garantir a exportação e a importação".No discurso, o presidente prometeu fazer um segundo governo melhor que o primeiro. "Só tem sentido uma pessoa ser candidata à reeleição se ela tiver consciência de que precisa fazer mais e melhor que fez no primeiro mandato", disse. "Todo mundo sabe como era e estava o Brasil (antes dele)", afirmou. "Já consolidamos a economia brasileira e criamos as condições para termos um segundo salto na distribuição de renda."Ele avaliou, no entanto, que a distribuição de renda só ocorrerá com crescimento econômico e melhoria da educação. "Temos de fazer aquilo que o Brasil está esperando há anos", disse. O presidente não apresentou metas de crescimento, mas disse estar confiante em números positivos. "Nunca o Brasil teve tanta segurança em reservas em dólar", observou. Lula repetiu o slogan de sua campanha ao mencionar a oposição. "Quero dizer para nossos adversários: deixem o homem trabalhar, porque a coisa vai acontecer neste País", disse. No sábado, em conversa com o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), Lula disse que iria procurar os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Itamar Franco para dialogar. Na segunda, representantes da oposição deram declarações contra qualquer conversa com o presidente.O presidente disse ainda que ele não é responsável pela crise atual na agricultura. "Houve um tempo em que disseram que o presidente Lula não gostava da agricultura e do agricultor e a crise era por conta disso", afirmou. "Tenho consciência do que representa a agricultura para o crescimento de Mato Grosso e para o desenvolvimento do nosso País".Nesta manhã, o presidente participou da inauguração de um trecho de 14 quilômetros da BR-364, que liga Sapezal à cidade de Comodoro. A estrada já estava operando desde agosto. No entanto, segundo assessores do Palácio do Planalto, a inauguração foi uma forma de Lula retribuir o apoio dado pelo governador reeleito de Mato Grosso, Blairo Maggi, no segundo turno da eleição. Lula passou a noite de segunda em uma das fazendas de Maggi, naquele município.A uma platéia formada por agricultores e estudantes, Lula defendeu uma política de seguro agrícola para ressarcir o setor e evitar que os produtores sejam pegos "de calça curta" em épocas de crise. "Passados dois anos de crise, o sinal de que a agricultura vai se recuperar é extraordinário", disse. Lula preferiu não falar comentar as críticas de ambientalistas ao avanço da soja na Amazônia. Disse apenas que "é preciso respeitar o meio ambiente" e "preservar o Estado".Este texto foi alterado às 16h23 com acréscimo de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.