Lula vive sob ´sombra de um terceiro mandato´, diz <i>El País</i>

Antes mesmo de montar sua equipe para os próximos quatro anos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já vive sob "a sombra de um terceiro mandato", informou nesta segunda-feira uma reportagem do diário espanhol El País. Lembrando que Lula foi reeleito em outubro, com mais de 60 milhões de votos, o jornal afirma que o presidente brasileiro está encontrando, no entanto, dificuldades para formar um novo governo, "ainda sem rostos definidos". Sobre a reeleição em 2010, o diário afirma que Lula "conseguiria isso por meio de uma emenda constitucional aprovada em plebiscito popular - ao estilo de Hugo Chávez, na Venezuela -, sem a necessidade de submeter a decisão à aprovação do Parlamento". Para explicar a polêmica, o El País cita o documento elaborado pelo PT, no qual um grupo do partido sugeriu a possibilidade de o presidente da República poder convocar consultas populares sem ouvir o Legislativo. No Brasil, a revelação da proposta gerou críticas por parte da oposição. O diário acrescenta ainda que "o PT, que acaba de conquistar a presidência do Parlamento com Arlindo Chinaglia - um candidato que não era o de Lula - sente-se forte novamente, quer apagar os escândalos e voltar ao poder com a mesma equipe que sofreu com os casos de corrupção". La Nación A volta do presidente Lula ao poder após o segundo turno também foi tema de uma reportagem do diário argentino Lá Nación. De acordo com o jornal, a idéia de Lula é deixar alguém de sua confiança no cargo, em 2010, e voltar ao poder somente em 2014. "Ao contrário de seu companheiro Hugo Chávez, Lula não pretende uma reeleição permanente", afirma o diário argentino. "Para alcançar essa meta, Lula quer anular a figura constitucional que permite a reeleição consecutiva - para evitar que seu sucessor se mantenha no cargo - e aposta que terá êxito suficiente neste segundo mandato para exercer influência sobre sua própria sucessão e ser candidato novamente em 2014". O jornal menciona ainda as comemorações dos 27 anos do PT, celebradas durante o fim de semana, em Salvador, na Bahia. Segundo o diário, o aniversário do partido foi uma mostra das diferentes forças que dividem a legenda atualmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.