Lula vetará novamente reajuste de 16,67% para aposentados

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia, afirmou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetará novamente o índice de 16,67% para aposentadorias acima de um salário mínimo pagas pela previdência social, caso seja aprovado pelo Congresso. Segundo ele, o presidente já tomou essa iniciativa antes das eleições e tem consciência de que não há como autorizar esse reajuste.Chinaglia reconheceu que, na sessão da última quarta-feira na Câmara, não havia segurança de vitória para o governo. Depois de duas horas de reunião, os governistas impediram a continuidade da votação da Medida Provisória dos Aposentados, temendo não ter votos suficientes para aprovar o índice de reajuste fixado pelo governo de 5,01%. Bancadas de vários partidos discordam quanto ao índice de reajuste que, segundo a oposição, deveria ser igual ao do salário mínimo, reajustado em 16,7% esse ano.O Plenário da Câmara registrou apenas 245 deputados presentes e, pela falta de oradores para o prosseguimento da sessão extraordinária, a sessão foi encerrada. Assim, a votação da Medida Provisória que reajusta em 5,01% os benefícios da Previdência Social foi transferida para a próxima segunda-feira, dia 13."Uma parte da base tem dificuldade para votar esse tema. Se viermos a perder, o Senado poderá corrigir ou o presidente Lula tomará a decisão que tomou antes das eleições", disse Chinaglia. Ele afirmou que o reajuste da previdência é um tema difícil porque ninguém se sente a vontade para votar contra um pleito dos aposentados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.