Lula vê economia sem gargalos de infra-estrutura

Na visão do presidente Luiz InácioLula da Silva a economia brasileira está operando sem gargalosde infra-estrutura. Em entrevista exclusiva publicada nestedomingo pelo jornal O Globo, que durante a semana fez uma sériede reportagens sobre gastos públicos, o presidente pareceu serdireto e reto em questões sobre gargalos na produção. "Não existe", disse Lula ao jornal do Rio. Na entrevista, o presidente também voltou a negar aintenção de concorrer a um terceiro mandato e disse que"resistirá" aos pedidos para uma nova reeleição, mesmo numcenário em que sua popularidade esteja alta e seu partido, oPT, não tenha um candidato natural à sua sucessão. "Ninguém me ouviu falar em terceiro mandato. Todo mundosabe que eu era contra a reeleição. Só não mando um projetoacabando com a reeleição porque fui reeleito", disse Lulasegundo o jornal. "Acredito na alternância de poder. Não sei onde surgiu essahistória (de terceiro mandato)." Questionado sobre quem apoiaria nas eleições presidenciaisde 2010, Lula se esquivou: "só irei pensar na minha sucessão apartir de 2009". "Posso dizer que não tenho nomes (para a sucessão), neminterno nem externo", disse. No campo da política externa, o presidente defendeu a"autodeterminação dos povos" ao ser questionado sobre o governovenezuelano comandado pelo presidente Hugo Chávez, que defendeuma proposta de reforma constitucional que põe fim aos limitespara a reeleição presidencial. A proposta será submetida a umreferendo. "Cada país determina o regime político que quer", defendeuLula. "Por que eu vou ficar criticando ou aplaudindo a decisãoda maioria do povo de um país? O regime político da Venezuela,o mandato de um presidente é um problema do povo venezuelano." "Ao Brasil interessa ter uma relação do Estado brasileirocom o Estado venezuelano", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.