Lula: vazamento no Golfo do México é 'incompetência dos Estados Unidos'

Em entrevista no rádio, presidente descartou restringir exploração em águas profundas

Nicola Pamplona, Agência Estado

15 Julho 2010 | 13h15

RIO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva atribuiu nesta quinta-feira, 15, à "incompetência" dos Estados Unidos as dificuldades de contenção do vazamento de petróleo no Golfo do México, que dura mais de dois meses. No dia 22 de abril, a plataforma Deepwater Horizon explodiu na costa do Estado da Louisiana, causando o pior desastre ambiental da história dos EUA. Em entrevista à rádio Capixaba Litoral FM, Lula defendeu os investimentos do Brasil no pré-sal e afirmou que as críticas aos projetos em águas profundas significam falta de conhecimento sobre a Petrobras.

As críticas aos EUA foram feitas em resposta à reportagem do jornal O Globo, que destacou na primeira página que, enquanto o vazamento nos EUA tem motivado restrições na exploração em águas profundas em outros países, o Brasil aumenta seus investimentos e inaugura hoje a produção no pré-sal no Espírito Santo.

O presidente afirmou que o veículo "deveria estar fazendo uma manchete criticando a incompetência dos Estados Unidos em não ter terminado ainda com o vazamento de óleo". "Isso significa que eles não conhecem a Petrobras", reagiu ele, na entrevista. Logo depois, Lula embarcou em direção à plataforma FPSO-Capixaba, que vai extrair óleo no campo de Baleia Franca.

 

Lula voltou a defender as mudanças no marco regulatório do setor de petróleo e disse esperar que o Congresso vote ainda este ano o projeto de lei que cria o contrato de partilha. A tramitação está emperrada por conta da discussão a respeito da distribuição de royalties. "Acho que essa história dos royalties não deveria ser discutida em ano eleitoral, porque começam a pensar em ganhar voto prometendo dinheiro fácil a prefeito", disse o presidente brasileiro.

Mais conteúdo sobre:
petróleo Petrobras Lula EUA vazamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.