Lula vai tentar reverter reajuste de tarifas telefônicas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda busca alguma maneira para reverter o reajuste das empresas de telefonia. Foi o que disseram hoje os governadores de Amazonas, Eduardo Braga (PPS) e do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), que o acompanharam ao longo das últimas 24 horas, em sua visita à cidade amazonense onde se realiza a tradicional Festa do Boi. "Claro que o presidente está preocupado e o governo está estudando quais medidas adotará", disse Braga. "É um aumento absurdo. Isso vai ser combatido de alguma forma", afirmou Rigotto.Eduardo Braga defendeu que o Executivo leve a questão à Justiça, com o cuidado de não caracterizar rompimento de contratos. "Se tem um contrato, não pode mexer, mas se pode questioná-lo na Justiça", comentou. Ele concordou com o ponto de vista da equipe econômica do governo, pelo qual é preciso cautela para não gerar uma crise de confiança por parte dos investidores. Germano Rigotto, por sua vez, afirmou que o reajuste da telefonia prejudica a sociedade. "Eu sei que o presidente vai enfrentar essa questão das tarifas", disse.O próprio presidente, porém, procurou não alimentar a crise gerada em torno do reajuste. "Este assunto está sendo estudado pelos canais competentes", disse ele, por intermédio de sua assessoria de imprensa.Festa do Boi - Lula visitou Parintins neste fim de semana e conferiu a tradicional Festa do Boi da cidade. A festa começou às 21 horas de sábado e terminou às 3 horas da madrugada do domingo. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ensaiou passos de dança e batucou no ritmo das canções dos bois Caprichoso e Garantido, na abertura do 38.o Festival Folclórico de Parintins. Das 2 às 3 horas da madrugada, Marisa sentou-se numa cadeira, à esquerda da platéia; Lula, ao contrário, passou dividir a sua atenção com a exibição do Boi Garantino, as batucadas nas tábuas da varandinha de seu camarote e a distribuição de autógrafos em camisetas, folhas de papel e até ingressos. O Garantido, que visivelmente entusiasmou Lula mais do que o Caprichoso, enviou da pista central um boi para "cumprimentar" o presidente. Lula passou a mão por várias vezes na testa do boi.Antes de deixar Parintins, hoje, Lula prometeu voltar à festa no ano que vem. "No ano que vem, acho que devem vir mais governadores (estavam presentes cinco), mais ministros (havia três, entre eles Gilberto Gil, da Cultura, que não se manifestou), mais autoridades", afirmou o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.