Lula vai analisar propostas do PSDB para apoiar CPMF

Num aceno ao PSDB, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou para hoje uma reunião do Conselho Político a fim de discutir as propostas feitas pelos tucanos em troca do apoio à emenda que prorroga a CPMF. Na definição do ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, ?as portas se abriram para o entendimento?. Ele disse que Lula quer examinar, principalmente, a sugestão do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, de desonerar as obras de saneamento do PIS/Cofins. ?A novidade é que há vontade dos tucanos de discutir a questão?, afirmou Mares Guia.A expectativa é de que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já participe desse encontro para adiantar que tipo de negociação o governo pode fazer em torno da emenda que tramita no Senado. Em busca de um acordo, Mantega e Mares Guia encontram-se também com senadores da base aliada no Ministério da Fazenda. Eles deverão sinalizar para os líderes que há condições de avançar na adoção de medidas de desoneração fiscal. Tudo a fim de garantir os 49 votos necessários para aprovar a emenda.?Está aberta a temporada de negociações. A proposta é a redução de impostos?, disse o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).A engenharia do governo para aprovar a CPMF também passa pela aprovação da Emenda 29, que fixa os porcentuais mínimos que municípios, Estados e União devem investir na saúde. A votação está prevista para hoje na Câmara. Para dar fôlego aos Estados, parte do bolo da arrecadação da CPMF (0,38% sobre as transações financeiras) a ser destinada à área da saúde seria aumentada de 0,20% para 0,28%. Com isso, os Estados receberiam do Tesouro mais R$ 8 bilhões por ano, valores que dariam para cumprir o estipulado pela Emenda 29. Com isso, a verba da saúde passaria de R$ 21 bilhões para quase R$ 30 bilhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.