Lula usa pronunciamento para justificar reajuste do mínimo

Em pronunciamento transmitido na noite desta quinta-feira em cadeia de rádio e televisão, no qual fez um balanço dos 500 dias de governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva justificou o pequeno aumento do salário mínimo, explicando que dedicou o ano de 2003 a resolver os problemas herdados de seu antecessor, como inflação em alta, elevação do desemprego e altas taxas de juros. "Deus sabe como foi difícil para mim não dar, já, agora, um aumento maior para o salário mínimo", afirmou o presidente, avisando que pagará o preço de ser mal compreendido pelos "sacrifícios" que está impondo ao País. "Se este for o preço, eu pago esse preço. Fui eleito para mudar o Brasil. Essa é a minha missão, e dela não abro mão". O pronunciamento foi gravado pela primeira vez em película, o que dá uma qualidade melhor para a imagem. No seu primeiro pronunciamento do ano Lula fez questão de ressaltar que "certamente" a população vai perceber "que as coisas estão mudando". O presidente salientou que está tendo "a coragem de fazer as coisas direitas, bem feitas e para valer". Ele justificou não poder conceder um aumento ao mínimo maior do que os R$ 260 anunciados: "o orçamento da Previdência não suportaria, e isso poderia comprometer todo o esforço já feito até agora". Lula abriu sua fala destacando a importância da viagem à China, para onde segue hoje, para incrementar o tão esperado crescimento do País. "Aumentar a exportação para países que são grandes compradores como a China é uma das formas mais seguras e sólidas de acelerar o nosso próprio segmento interno dinamizando e fortalecendo a nossa economia e, com isso, ajudando a gerar os empregos que tanto precisamos", disse o presidente, que embarca na manhã de hoje para uma visita de uma semana àquele País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.