Lula tomará medidas sobre grampo no STF, diz senador do DEM

Reportagem da revista 'Veja' mostra grampo de uma conversa entre Demóstenes Torres e o presidente do STF

CIDA FONTES, Agencia Estado

01 de setembro de 2008 | 16h01

O senador Demóstenes Torres (DEM-TO), que participa nesta segunda-feira, 1, da audiência do presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva , afirmou que vai cobrar nesse encontro uma decisão dura do governo em relação aos responsáveis pelo grampo. "Temos de deixar o presidente agir. Eu confio na atuação do presidente Lula, acredito que ele vá tomar medidas. O que precisa não é de uma ação para dar uma resposta a sociedade, mas enquadrar a Abin (Agência Brasileira de Inteligência). E se o presidente se omitir, vamos para cima dele", afirmou o senador ao deixar o prédio do Congresso em direção ao Palácio do Planalto. "Alguém tem que cair", completou.   Veja Também:   Supremo quer que Lula esclareça grampos da Abin, diz Mendes Abin diz que abrirá sindicância para apurar grampos 'Lula terá que tomar providências', diz Garibaldi Grampeado, Demóstenes exige medidas de Lula Ao cobrar uma ação de Lula, o senador disse que não está isentando o presidente. "As algemas estão com o presidente Lula. Ele tem que usar estas algemas". Ele classificou como "diversionismo" as especulações de que o grampo poderia ter saído de um telefone do Senado. "Se a revista (Veja) diz que o responsável é da Abin, não tenho por que duvidar". Ele defendeu, no entanto, uma varredura nos telefones do Senado.

Tudo o que sabemos sobre:
gramposSTFDemóstenes Torres

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.