Lula tomará ainda nesta 2ª medidas sobre grampo, diz Garibaldi

Presidente do Senado participou de encontro com presidente e ministros para discutir denúncias de grampos

Cida Fontes, de O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2008 | 17h36

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou nesta segunda-feira,1, ao presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), e aos senadores Tião Viana (PT-AC) e Demostenes Torres (DEM-TO) que deve anunciar ainda nesta tarde medidas em relação às escutas telefônicas ilegais envolvendo o presidente do Supremo TribunalFederal (STF), ministro Gilmar Mendes, e outras autoridades. Lula, segundo Garibaldi, não chegou a detalhar quais medidas seriam essas.  Veja Também: Supremo quer que Lula esclareça grampos da Abin, diz MendesAbin diz que abrirá sindicância para apurar grampos 'Lula terá que tomar providências', diz Garibaldi Grampeado, Demóstenes exige medidas de Lula  Ao sair da reunião no Palácio do Planalto, Garibaldi disse que Lula anunciou que ainda hoje pretende reunir o conselho interno do Planalto para discutir o assunto. "O caso é extremamente grave e providências serão tomadas ainda hoje", afirmou lula segundo relato de Garibaldi Alves. Lula não adiantou que medidas serão estas. Lula informou ainda aos senadores que mandou fazer uma sindicância rigorosa para apurar as responsabilidades sobre o grampo. Garibaldi Alves contou que Lula disse que tomaria as medidas para tranqüilizar a Nação. No encontro com os senadores, Lula teria dito, ainda conforme relato de Garibaldi, que teme até pela instabilidade das instituições. "Isso não pode continuar, é inadmissível", disse o presidente, de acordo com Garibaldi Alves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.