Lula toma café da manhã com 15 líderes aliados

Quinze parlamentares entre líderes da base aliada, líderes governistas, vice-líderes e representantes de partidos, participam do café da manhã com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto.A lista de participantes, divulgada pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República, é a seguinte: líderes do PT na Câmara, Arlindo Chinaglia; do PMDB, José Borba; do PTB, José Múcio Monteiro; do PPS, Júlio Delgado; do PSC, Pastor Amarildo; do PP, Pedro Henry, do PSB, Renato Casagrande; do PCdoB, Renildo Calheiros; do PL, Sandro Mabel, além do líder do governo no Congresso, senador Fernando Bezerra; do líder do governo na Câmara, Professor Luizinho; os vice-líderes do governo, Sigmaringa Seixas, Vicente Cascione e Beto Albuquerque, e o representante do PV, Edson Duarte. Além do presidente, participa também do café da manhã o ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo.Ao chegar para o encontro, o Professor Luizinho (PT-SP), disse que o governo acredita na base aliada, e que o novo valor do salário mínimo, de R$ 260, não será alterado. "A base tem responsabilidade e sabe do esforço do presidente para conceder o novo valor", afirmou. Ele comentou também a decisão do governo de cancelar o visto temporário do jornalista do New York Times, Larry Rohter, que publicou no último domingo matéria insinuando que o presidente Lula tem consumido exageradamente bebida alcoólica. Para ele a matéria do jornalista americano foi uma "tortura" para com o País. Ele comparou o efeito da matéria no Brasil aos maus tratos cometidos por militares americanos no Iraque e disse que o jornalista americano "achincalhou" o Brasil. "Aqui pode vir qualquer um e fazer o que quiser?" indagou, ao ser questionado se a decisão do governo não feria a liberdade de imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.