Lula tenta se afastar de Sarney, diz reportagem do WSJ

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está diante de "um possível revés político" em meio a acusações de corrupção que recaem sobre o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), segundo reportagem publicada hoje pelo "Wall Street Journal". No texto, intitulado "Líder brasileiro quer distância de aliado", o periódico norte-americano afirma que, "quando as acusações apareceram, Lula ficou ao lado de Sarney, dizendo que ao presidente do Senado deveria ser dado o benefício da dúvida" por causa de seu passado. Porém, "na semana passada, Lula tentou cortar seus laços, sinalizando em entrevista coletiva que não mais apoiava Sarney."

AE, Agencia Estado

04 de agosto de 2009 | 11h23

A reportagem afirma que "uma renúncia, ainda assim, enfraqueceria Sarney justamente no momento em que Lula precisa dele para ajudar a liderar uma investigação no Congresso sobre as práticas contábeis da Petrobras", diz o WSJ. "Alguns analistas políticos afirmam esperar que os opositores de Lula usem a investigação na petroleira para extrair informações potencialmente danosas sobre a administração da empresa que poderiam ser usadas contra o partido de Lula nas eleições nacionais do ano que vem."

O jornal norte-americano afirma também que Sarney é necessário para acrescentar votos populares para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, nas eleições presidenciais de 2010. "Depois de dois mandatos, Lula não pode se candidatar à reeleição e a popularidade medíocre de Dilma indica que ela precisará de alianças multipartidárias para vencer", afirma o texto. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoJosé SarneyWall Street Journal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.