Lula tenta marcar jantar com o PMDB

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu montar uma ofensiva para acalmar o PMDB e incumbiu hoje o ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, de marcar um jantar com os deputados e senadores do partido. A data mais provável é nesta sexta-feira. Os governadores do partido também serão procurados pelo governo. A aproximação começou hoje com um almoço de Rebelo com o presidente do PMDB, Michel Temer (SP).Já o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), considerou hoje "prudente" o adiamento da convenção do PMDB marcada para o dia 12 de dezembro para decidir sobre a participação do partido no governo. Ele disse que 17 diretórios do partido nos Estados já escreveram ao presidente do PMDB pedindo o adiamento da convenção para que antes sejam feitas as convenções estaduais. "Acho que não está madura a questão para ser alvo de uma decisão de convenção", disse.O afastamento do PMDB do governo foi novamente defendido hoje pelo governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto. Na opinião dele, para apoiar os projetos importantes para o País o partido não precisa ficar atrelado a cargos, nem à liberação de recursos. "Para o presidente Lula, para o PT e para o governo federal não é bom ficar num jogo de braço tentando manter o PMDB no governo", disse. Segundo o governador, ou o PMDB constrói sua identidade ou vai se definhar. "O PMDB não se faz respeitar e fica nessa posição de atrelamento a outros projetos, discutindo espaços no governo", criticou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.