Lula tenta cortejar o voto evangélico, diz ´El Pais´

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende buscar o voto dos evangélicos para evitar que o grupo, "supostamente 15% do eleitorado", apóie uma candidatura do ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, nas eleições presidenciais deste ano, de acordo com artigo publicado nesta quarta-feira pelo jornal espanhol El Pais. Apesar de faltarem quatro meses para o início da campanha eleitoral e de candidaturas ainda não terem sido lançadas oficialmente, o El Pais afirma que "hoje ninguém é mais candidato do que Lula, que chega a percorrer seis Estados em um só dia"."Sabe-se que as pesquisas de opinião lhe voltaram a ser favoráveis; conta, ao mesmo tempo, com o voto dos mais pobres e dos mais ricos, embora tenha perdido o da classe média; e que o Partido dos Trabalhadores não tenha candidatos alternativos a ele, dado o sangramento sofrido com a crise ética que sacudiu o partido", diz o artigo.Neste momento, "os dois grandes movimentos evangélicos são a Igreja Universal do Reino de Deus, que é o que poderia respaldar Lula, e a Convenção Geral das Assembléias de Deus, muito mais numerosa, com 23 milhões de fiéis, 21 deputados federais e 36 estaduais, que é a que hoje segue o pastor Garotinho"."Para estimular as adesões evangélicas, Lula pode até estar disposto a apoiar como governador do Rio o candidato dos evangélicos em detrimento do candidato do PT", diz o El Pais."A incógnita" agora é saber se a Igreja católica, "que tanto contribuiu para a vitória de Lula em 2002" vai aceitar essa situação, de aproximação do presidente com os evangélicos, que o jornal afirma serem "muito mais tradicionalistas e conservadores do que o catolicismo no País".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.