Lula tenta atrair PMDB para 2010

Em jantar com Temer e Sarney, presidente reforça importância de alianças nos Estados e na corrida presidencial

Denise Madueño, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

01 de maio de 2009 | 00h00

O jantar de quarta à noite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os presidentes da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP), serviu para que os dois lados, presidente e líderes peemedebistas, manifestassem a disposição de seguir em frente com as conversas para aliança eleitoral em 2010. O PMDB é o aliado prioritário de Lula para a sua sucessão.Em parte da conversa, o presidente discorreu sobre o bom estado de saúde de Dilma e a animação e disposição da ministra para o trabalho. Lula reafirmou aos dois a importância de o PT e o PMDB acertarem alianças nos Estados. A manifestação de Temer e de Sarney seguiu na mesma linha de que a aproximação continua.Como resumiu um interlocutor dos peemedebistas, o jantar foi para dizer que nada mudou e as articulações para 2010 estão mantidas. Sinal importante no momento de revelação de fragilidade da saúde da ministra, que propicia um cenário de especulações e de investidas políticas. O PMDB não tem pressa para escolher de que lado estará, com o PT ou com o PSDB do governador de São Paulo, José Serra.Lula manifestou solidariedade aos presidentes da Câmara e do Senado, que tentam administrar o desgaste político por causa da série de denúncias de uso inadequado de recursos públicos pelos parlamentares. Ele disse estar disposto a dar declarações públicas em defesa do Congresso Nacional.Ontem mesmo o presidente já defendeu a Câmara, ao dizer que não há por que se surpreender com a polêmica das passagens. "Eu não sei o que vocês veem de novidade no que acontece na Câmara. Qual é a novidade que vocês descobriram? Que deputado usa passagem? Isso é utilizado desde que o Congresso é Congresso, gente. É preciso parar com a mania de que somente no Brasil acontecem essas coisas", disse ele, em entrevista coletiva no Hotel Copacabana Palace, sobre a candidatura do país à Olimpíada de 2016.O presidente da Câmara, sem dar detalhes do encontro, comentou apenas que Lula está disposto a ter contato mais frequente com os presidentes do Legislativo. COLABOROU BRUNO LOUSADA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.