Lula também é a favor da extensão do mandato, diz Rebelo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem defendido idéia semelhante à que foi manifestada nesta quinta-feira pelo presidente do Senado, José Sarney, de acabar com a reeleição para presidente da República em troca de uma extensão do mandato presidencial para um período de seis anos, disse o ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, durante café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto.O ministro não assumiu a defesa da proposta, mas lembrou que a reeleição não é uma tradição da história republicana brasileira. Ele observou que, desde a primeira Constituinte republicana, a elite política vinha percebendo a instabilidade despertada por uma disputa sucessória na reeleição. Tanto é que, lembrou o ministro, a reeleição só foi estabelecida em 1997. Rebelo levantou dúvidas sobre a conveniência de esta mudança ser feita no âmbito da reforma política que tramita no Congresso. Observou que uma mudança como esta exigiria uma emenda constitucional. MínimoRebelo disse ainda desconhecer a intenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de negociar um valor de R$ 290,00 para o salário mínimo para vigorar a partir de janeiro próximo. Rebelo relatou que esteve com o presidente na quarta-feira e disse que esta possibilidade não foi discutida. Desde já, o ministro se disse otimista quanto à aprovação do valor proposto de R$ 300,00 para vigorar a partir de maio de 2005, embora admita como natural a possibilidade de haver pressões dentro da base aliada para aumentar esse valor para R$ 320,00, como reivindicam as centrais sindicais. Rebelo considera que o valor proposto por Lula vai facilitar as negociações no Congresso em torno do assunto, porque é um valor superior a US$ 100,00 e vai completar uma diferença de R$ 100,00 em relação ao valor pago no início do governo Lula. "Não antecipamos o anúncio do salário mínimo para evitar desgastes para o governo, mas por ser justo e por acreditarmos que a economia vai crescer", afirmou Rebelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.