Lula só volta atrás se <i>NYT</i> ou jornalista pedir desculpas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não voltará atrás, neste momento, da decisão de expulsar o jornalista Larry Rohter do Brasil. A afirmação é do líder do PSB no Senado, senador João Capiberibe, que participou da reunião de senadores com o presidente, no Palácio do Planalto. Segundo Capiberibe, se houver uma retratação do jornalista ou do New York Times, será possivel o presidente rever sua decisão. O líder do PSB disse que os senadores saem da reunião convencidos de que o presidente está certo. Se o jornalista recorrer à Justiça e se estar for favorável a ele, o presidente respeitará a decisão, segundo disse aos senadores, de acordo com o relato de Capiberibe. Na conversa com os senadores o Lula citou vários pontos da matéria de Rohter, publicada pelo New York Times no domingo,que considerou preconceituosos e ofensivos. Entre eles o que ressalta que o pai do presidente seria alcoólatra, dando a entender que o hábito do consumo de bebidas alcoólicas seria genético. Imagem atingida O presidente do Senado, José Sarney, confirmou essa decisão do presidente Lula. Sarney disse que tinha delegação dos líderes do Senado para expressar solidariedade ao presidente e que os senadores estavam dispostos a colaborar em qualquer iniciativa para a solução do problema. O presidente Lula argumentou, segundo Sarney, que foi a imagem do País que foi atingida pela reportagem e só um fato novo justificaria a revisão de sua decisão. A possibilidade de uma retratação parece mínina: a porta-voz do New York Times já afirmou que a reportagem que motivou a polêmica é correta; editores do jornal já se manifestaram colocando em dúvida o apreço do governo brasileiro pela liberdade de imprensa; e o jornal já deixou claro que lutará na Justiça brasileira para garantir a permanência do seu correspondente no País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.