Lula, Serra e Kassab anunciam investimentos de R$ 1,5 bi em SP

Montante será aplicado em obras de saneamento, urbanização de favelas e construção de moradias populares

Elizabeth Lopes, da Agência Estado,

20 de maio de 2008 | 08h06

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e o prefeito da capital, Gilberto Kassab (DEM), estarão junto no início da tarde desta terça-feira, 20, na Favela de Heliópolis, na Zona Sul, para anunciar investimentos de R$ 1,49 bilhão, destinados à realização de obras na capital. Do total de recursos, R$ 584,4 milhões são provenientes do governo federal e R$ 905 milhões são do Estado e da Prefeitura. O montante será aplicado em obras de saneamento ambiental, urbanização de favelas e construção de moradias populares.   Veja também:   O balanço do PAC   Os chefes dos executivos federal, estadual e municipal irão firmar nove convênios, sendo que o maior deles prevê obras no entorno das represas de Guarapiranga e Billings, na Zona Sul, abrangendo 45 áreas, com obras viárias, eliminação das áreas de risco, saneamento, drenagem, instalação de sistemas de iluminação pública e a construção de 1.262 casas populares por parte da Prefeitura e 5.300 pela CDHU, do governo de São Paulo. Apenas este convênio envolve recursos da ordem de R$ 869,3 milhões, dos quais R$ 250 milhões da União e R$ 172,7 milhões do governo estadual e R$ 446,5 milhões da Prefeitura.   Os outros oito convênios são de urbanização de favelas, num montante de R$ 624 milhões, dos quais R$ 338,4 milhões do governo federal e R$ 285,6 milhões da Prefeitura. As obras serão realizadas em oito favelas da capital, dentre as quais Heliópolis e Paraisópolis, as duas maiores de São Paulo. As outras contempladas, são: Jardim São Francisco, Boa Esperança/Guarani, Tiro ao Pombo, Jardim Nazareth, Cidade Azul e Jardim Irene/Rosas/Parque Fernanda.   Na avaliação da secretária estadual de Saneamento e Energia de São Paulo, Dilma Penna, um dos projetos mais importantes é a recuperação do entorno das represas Guarapiranga e Billings. Segundo ela, 21% do abastecimento de água da Região Metropolitana de São Paulo dependem desses mananciais. Um dos maiores mananciais de São Paulo é o da Cantareira, responsável por 48% do abastecimento de água da Região Metropolitana.   Na opinião do secretário municipal em exercício da Habitação, Elton Santa Fé Zacarias, a união do governo federal, Estado e Prefeitura contribuiu para o fortalecimento da política habitacional da cidade de São Paulo. Nas duas maiores favelas que serão beneficiadas pelos recursos anunciados hoje, Heliópolis e Paraisópolis, serão construídas 1.895 unidades habitacionais (no valor de R$ 175,4 milhões) e reassentadas 2.500 famílias (num projeto avaliado em R$ 172,9 milhões), respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaPACSerraKassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.