Dida Sampaio/Estadão, Gabriela Biló/Estadão
Dida Sampaio/Estadão, Gabriela Biló/Estadão

Moro provoca Lula sobre Petrobras e lembra início da Operação Lava Jato

Lula se prepara para voltar a Curitiba pela primeira vez desde que esteve preso pela Lava Jato; presidenciável do Podemos aproveitou o aniversário da operação para provocar o legado do petista na estatal

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2022 | 16h44

O ex-juiz Sérgio Moro usou o aniversário de oito anos da primeira fase da Operação Lava Jato para provocar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Twitter, nesta quinta-feira, 17. A data coincide, também, com a véspera de uma visita de Lula à Curitiba, cidade em que esteve preso no âmbito da operação. 

No início do dia, o petista afirmou na rede social que a Petrobras é uma empresa que “investe no desenvolvimento do país” e que, em seu governo, se tornou a segunda maior petroleira do mundo.  Lula também citou o aumento no preço do combustível importado. "Essa gasolina chega a preço de dólar para o povo brasileiro", publicou.

Em resposta, Moro disse que “não teria dia mais infeliz” para o comentário de Lula. “Há exatos 8 anos, a Lava Jato prendia um diretor da Petrobras que você nomeou e que recolheu propina por uma década”, escreveu o ex-juiz, responsável por parte dos processos da Lava Jato no âmbito da Justiça Federal de Curitiba. “Tem certeza que você quer falar disso justo hoje?”, completou.

Na acusação, Moro se referia à prisão do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que se tornou delator ao longo dos anos. Segundo a assessoria de imprensa de Moro, a prisão temporária de Costa foi decretada no dia 19 de março e a preventiva no dia 24 do mesmo mês. Na data de hoje daquele ano, como citada por Moro, ele foi conduzido coercitivamente. 

No dia 17, a operação deflagrada mirou doleiros como Alberto Youssef, envolvido em irregularidades denunciadas na CPI do Banestado, e Carlos Habib Chater.

Amanhã, Lula irá à Curitiba, onde ficou preso por 580 dias e participará do evento de filiação do ex-governador do Paraná Roberto Requião no pavilhão da Expo Unimed. É a primeira vez que ele retorna à capital do Paraná após sua prisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.