Lula se reúne com Lobão, que deve ocupar Minas e Energia

Presidente não confirmou, no entanto, o nome do senador para o ministério; PMDB 'não acredita em mudanças'

16 de janeiro de 2008 | 14h13

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve receber nesta quarta-feira, 16, às 18 horas, no Palácio do Planalto, o senador Edison Lobão (PMDB-MA), indicado pelo seu partido para ocupar o Ministério de Minas e Energia. Na terça, em Cuba, Lula não deu como certa a nomeação de Lobão para o cargo. Disse que nesta quarta conversaria com ele e que dessa conversa sairia sua decisão. Veja Também:  Lobão Filho é suspeito em fraude de R$ 30 milhões  Convite a Lobão para ministério depende de 'discussão', diz Lula   "Eu disse ao PMDB que isso (a nomeação) vai depender de uma conversa com ele (Lobão)". Mas ainda ontem o ministro das Relações Institucionais, José Múcio, se apressou para evitar novo constrangimento com o PMDB. Segundo ele, não existe possibilidade de Lobão não ser nomeado. "Lobão foi indicação unânime do PMDB", lembrou.   O presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), afirmou, em Brasília, que não acredita em mudanças naquilo que foi conversado com Lula. "Não ficou estabelecido que o convite seria amanhã (hoje), mas entendemos que sim, pois ele marcou a conversa. Vamos aguardar", disse. A indicação de um político para o ministério de Minas e Energia acontece em um momento complicado, já que se admite a possibilidade de um novo apagão elétrico no País.  Suplente O filho e suplente do senador Edison Lobão, Edison Lobão Filho (DEM-MA), é suspeito de ter ligações com um esquema que fez desaparecer 52.309 notas fiscais de 205 empresas entre 1993 e 1999 dos computadores da Companhia de Processamento de Dados do Maranhão (Prodamar). O Estado teve prejuízo total de R$ 60 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
LobãoMinas e Energia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.