ricardo stuckert
ricardo stuckert

Lula se diz ser grato a Sarney e a Renan, que o 'ajudou a governar'

No Nordeste, ex-presidente disse que é necessário fazer 'acordos pontuais'; até Lula chegar ao Planalto, os peemedebistas eram seus adversários políticos

Anderson Bandeira, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2017 | 16h51

RECIFE- Em caravana pelo Nordeste, o ex-presidente Lula (PT) se disse grato ao senador Renan Calheiros (PMDB ) e ao ex-presidente José Sarney (PMDB ) nesta sexta-feira, 25, durante passagem por Pernambuco. Apesar de Renan ter se distanciado do PT durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o peemedebista participou do evento com o petista em Alagoas, o que rendeu críticas por parte da militância. Renan, presidente do Congresso à época, votou pelo impeachment de Dilma. Nesta sexta-feira, Lula disse que considera que as alianças políticas são necessários e no caso do Renan, o senador ajudou a governar o País. 

Lula também se mostrou grato ao ex-presidente José Sarney, que até chegar ao Planalto era um dos seus maiores alvos de crítica.  “Eu sou grato ao Sarney como presidente do Senado. Eu sou grato... Ora, você vai deixar de ter um tubarãozinho manso para ter um tubarão novo mordendo até o pé. Eu acho que você tem que medir essa decisão em cada momento. Você não precisa fazer um acordo definitivo. Você pode fazer acordos pontuais. Em cima de cada projeto”, disse o cacique petista.

“Deixa eu falar uma coisa para as pessoas entenderem. O Renan pode ter todos os defeitos, agora o Renan me ajudou a governar esse País. Se ele cometeu algum erro - e eu sou da opinião do seguinte, que todo mundo é inocente até que se prove o contrário. Olha, se eu quero pra mim a inocência até que se prove o contrário eu tenho que querer para os outros também”, disse Lula.

 

Em Pernambuco, o ex-presidente ainda expressou o desejo de ter uma frente de esquerda no Brasil para as eleições de 2018. “Eu gostaria que a esquerda tivesse mais força, que cada partido, o PCdoB elegesse 50 deputados, que o PSOL elegesse 50, 60, que o PSTU elegesse 50, 60. Que a esquerda do PMDB elegesse 50, 60. Mas quem vota é o eleitor. E quando eleitor vota nós temos que nos subordinar ao desejo das urnas". Segundo Lula, a esquerda terá que ser mais cuidadosa no discurso para melhor orientar a população na hora do voto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.