Lula se diz otimista sobre reunião entre Colômbia e Venezuela

Presidente acredita que novo líder colombiano tem possibilidade de resolver a crise

REUTERS

09 de agosto de 2010 | 16h26

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, 9, acreditar que o novo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, poderá restabelecer as relações diplomáticas e comerciais com a Venezuela.

Veja também:

linkTPI exige que denúncia de Uribe contra Chávez seja pré-analisada

linkCorrea espera visita de presidente da Colômbia

Santos foi empossado em Bogotá no sábado em meio a uma profunda crise diplomática com Caracas, acusada pelo seu antecessor, Álvaro Uribe, de dar apoio a guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército da Libertação Nacional (ELN).

"Eu sou um otimista inveterado em relação à possibilidade da construção de paz, sobretudo entre Venezuela e Colômbia", disse Lula a jornalistas após encontro com o presidente de El Salvador, Mauricio Funes.

Lula acompanhou a posse de Santos na capital colombiana no sábado, enquanto a Venezuela foi representada por seu ministro de Relações Exteriores, Nicolás Maduro. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, deve se reunir com Santos em Santa Clara, balneário colombiano, na terça-feira para discutir a relação entre os dois países.

"Eu penso que ele (Santos) tem possibilidade de resolver o problema", declarou Lula.

Chávez rompeu as relações diplomáticas com a Colômbia no mês passado, após as acusações de Uribe de que Caracas abriga guerrilheiros.

Perguntado se o Brasil poderia ajudar o governo colombiano no combate às Farc, Lula disse que esse é um problema que "diz respeito somente à Colômbia".

"Nós só nos moveremos se a Colômbia pedir alguma coisa", afirmou. "É um problema interno da Colômbia que tem que ser resolvido pela Colômbia."

(Reportagem de Hugo Bachega)

Leia ainda:

linkUribe critica Chávez e o chama de covarde no Twitter

linkVice-colombiano é internado com dores no peito

linkChávez pede às Farc fim da luta armada

linkChávez veta embaixador indicado por Obama

linkVenezuela: faltam comida, luz e oposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.