Lula se diz em período de silêncio até o fim do carnaval

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu hoje que tem se esforçado para manter um período de silêncio após deixar o Palácio do Planalto. Lula admitiu que necessita "desencarnar da Presidência". Depois de receber na noite de sexta-feira o título de doutor honoris causa na Universidade Federal de Viçosa (UFV), em Minas Gerais, o ex-presidente foi agraciado com uma comenda oferecida pela prefeitura de Ubá, também no Estado.

EDUARDO KATTAH, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

29 de janeiro de 2011 | 12h45

Durante uma rápida cerimônia no aeroporto da cidade mineira, Lula mais uma vez evitou responder às abordagens dos jornalistas e reiterou que pretende manter-se em "férias" até o fim do carnaval.

"É a minha primeira atividade depois que eu deixei a Presidência. Eu, na verdade, não quero ter atividade até março, vou esperar o carnaval. A companheira Dilma está montando o seu time e eu preciso desencarnar da Presidência. Então, quanto mais quieto eu ficar, quanto menos eu falar, melhor será para todos nós", disse o ex-presidente, que prometeu "reencarnar como cidadão brasileiro" somente.

Lula não quis fazer nenhum prognóstico em relação ao caso do ex-ativista italiano Cesare Battisti. No seu último dia de mandato, o ex-presidente negou a extradição. A defesa de Battisti pediu neste mês sua libertação, o que deverá ser decidido pelo pleno do Supremo Tribunal Federal (STF) em fevereiro. Lula também evitou falar sobre o governo de sua sucessora.

Ele recebeu do prefeito Vadinho Baião (PT) a medalha Ary Barroso, comenda estabelecida pela administração municipal em 2003, quando do centenário de nascimento do compositor natural de Ubá. O ex-presidente também ganhou de presente uma cesta com produtos da região, incluindo o tradicional doce de manga (mangada) e uma garrafa de cachaça.

O prefeito pediu que Lula levasse uma caixa de doce para o ex-vice-presidente José Alencar. O ex-presidente havia solicitado aos assessores que adiantassem a cerimônia para poder fazer uma visita a Alencar no seu retorno a São Paulo. Lula telefonou para o ex-vice-presidente, que tem fortes ligações com Ubá, onde viveu e teve negócios. "Contei para ele que eu estava aqui e ele ficou muito feliz. Encontrei várias pessoas que trabalhavam com o José Alencar", observou. "Vou levar uma caixinha (de mangada) para ele, mas vai depender da fome que eu estiver no avião."

Tudo o que sabemos sobre:
Lulacarnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.