Lula se diz a favor da reforma trabalhista

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, na entrevista que está dando a emissoras de rádio, a modificação da legislação trabalhista, mas disse que pretende fazer as mudanças em acordo com o movimento sindical. Desde já, no entanto, ponderou que não se pode ter a mesma regra para uma multinacional e para uma empresa de fundo de quintal, pois isso estimula a informalidade. "É como proibir pisar na grama", comparou. "Todo mundo pisa". Na opinião dele, o caminho é criar normas que estimulem a formalização das empresas. Ele disse, por exemplo, que não pode um empresário demorar um ano para abrir sua empresa e demorar dez anos para fechá-la.Lula adiantou que, amanhã, vai anunciar novas medidas de apoio às pequenas empresas. Mas cobrou, também, o empenho dos governadores nesse esforço e disse que discutirá o assunto com eles. "Todo mundo fala em reduzir imposto, mas ninguém quer reduzir", reclamou.Ele informou, ainda, que está estimulando os governadores que são contra a guerra fiscal entre os Estados a lutarem, no Senado, pela aprovação das medidas que complementam a reforma tributária e restringem a guerra fiscal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.