Lula se compara a Schumacher na corrida de 2002

O presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, ainda não está preocupado com os resultados das últimas pesquisas de opinião para a Presidência da República em 2002, que apontaram o aumento da intenção de voto para a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL). No encontro da tarde desta quinta-feira, com a executiva estadual do Partido dos Trabalhadores de Minas Gerais, em Belo Horizonte, Lula se comparou ao tetracampeão mundial de Fórmula 1, o alemão Michael Schumacher, da Ferrari, ao analisar a sua situação diante da corrida pela conquista do Palácio do Planalto.De acordo com Lula a confortável posição do PT no cenário político nacional acabou fazendo com que as atenções fossem revertidas para outros possíveis candidatos que continuam na briga, apenas pelo segundo lugar, como acontece na Fórmula 1"Eu não analiso pesquisas e confesso que não preciso fazer isso. A nossa posição está mais ou menos como a do Schumacher. Já se sabe quem é o vencedor e não se fala mais no nome dele, e sim no daqueles que ainda perseguem o segundo lugar no campeonato", afirmou.Sobre o crescimento da popularidade da governadora do Maranhão, Lula disse que isso não passa de uma estratégia do PFL para que Roseana Sarney ganhe mais espaço no cenário nacional, e o partido mais força para poder barganhar uma aliança futura com o PSDB. "O PFL está tentando "cacifar" a governadora do Maranhão para que ela apareça mais aos eleitores do restante do país. Mas isso tem a intenção criar uma possibilidade maior de aliança entre o PFL e o PSDB", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.