Lula rouba cena em lançamento de livro de Mercadante

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva roubou a cena no lançamento de um livro do senador Aloizio Mercadante (PT-SP), candidato ao governo de São Paulo, nesta noite, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na capital paulista. Lula chegou aplaudido por pessoas que estavam na livraria e ouviu um coro de "Olê Olê Olê Olá, Lula", slogan de sua campanha em 1989, e gritos de "Agora é Dilma", em referência à presidenciável do PT, Dilma Rousseff. Houve ainda populares que perguntaram pelo Corinthians, time do presidente.

ANNE WARTH, Agência Estado

29 de junho de 2010 | 20h41

Lula chegou às 18h50, permaneceu por 20 minutos no local e autografou cerca de 20 livros. O presidente escreveu o prefácio da obra intitulada "Brasil: a Construção Retomada", de autoria de Mercadante. De acordo com Mercadante, o livro é um registro do momento de estabilidade econômica, crescimento e distribuição de renda do País. "O presidente Lula foi o grande arquiteto deste momento", disse Mercadante.

O senador contou ter escrito a obra durante o período em que ocupou a liderança do PT no Senado. Negou que o lançamento tenha sido realizado unicamente por ele ser o candidato do PT ao governo paulista. "Vai muito além de uma eleição, mesmo porque estive com Lula em todas as eleições em que ele disputou, nesses 30 anos. Eu faria de qualquer forma esse registro", declarou.

Lula não esteve na convenção estadual do PT que lançou Mercadante à sucessão ao Palácio dos Bandeirantes. O senador descartou, no entanto, que isso tenha expressado qualquer desprestígio por parte do presidente, a ser compensado no evento de hoje. "Ele não esteve em nenhuma convenção de nenhum candidato em nenhum Estado do Brasil. Acho que ele está tendo o cuidado de preservar a sua função como presidente da República", opinou. "Ele disse para mim e já repetiu muitas vezes que será um militante dedicado e exemplar."

Também estiveram presentes ao lançamento do livro os candidatos ao Senado Marta Suplicy (PT), Netinho de Paula (PCdoB), o prefeito de Osasco, Emídio de Souza (PT), o presidente estadual do PT, Edinho Silva, o senador Eduardo Suplicy (PT), o vereador José Américo (PT) e o vereador Agnaldo Timóteo (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.