Lula retoma agenda internacional com visita a países nórdicos

Um dos focos da viagem é a cooperação na área de energia renovável, com ênfase nos biocombustíveis

Elizabeth Lopes, do Estado,

09 de setembro de 2007 | 14h56

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) retomou, neste final de semana, sua agenda de viagens internacionais. O programa oficial começa na próxima egunda-feira, 10, em Helsinque, na Finlândia, e se estenderá até sexta-feira (dia 14), quando Lula, sua comitiva e empresários visitarão também a Suécia, Dinamarca e Noruega. Esta é a primeira visita de um chefe de Estado brasileiro a esses países nórdicos. Um dos principais focos da viagem será a cooperação na área de energia renovável, com ênfase para o programa de biocombustíveis. Além disso, tentará atrair os investimentos de empresas privadas da região, explicando as vantagens oferecidas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Segundo dados da Chancelaria brasileira, o comércio do Brasil com os países nórdicos chegou a US$ 3,8 bilhões em 2006, 80% a mais do que em 2003, enquanto os investimentos nórdicos no país superaram os US$ 4 bilhões. Na Finlândia, Lula terá audiência com a presidente Tarja Halonen e outras autoridades locais. Está prevista a assinatura de um memorando de entendimento entre os dois países na área de mecanismos de desenvolvimento de energia limpa, do Protocolo de Kyoto e a realização de um seminário empresarial sobre oportunidade de investimentos no Brasil. De acordo com informações da Agência Brasil, cerca de 50 empresários brasileiros - dos setores de telecomunicações, energia elétrica, biocombustíveis, financeiro, calçados, agronegócio, portuário e indústria naval entre outros - participam dessa viagem com o objetivo de impulsionar seus negócios. No ano passado, o comércio bilateral do Brasil com a Finlândia, Suécia, Dinamarca e Noruega somou US$ 3,8 bilhões, representando apenas 1,7% do volume total das negociações brasileiras com seus parceiros. Depois da Finlândia, Lula e comitiva seguem para Estocolmo, Copenhague e Oslo. Nesses países, Lula será recebido pelas autoridades locais e também deverá assinar memorandos de cooperação na área de energias renováveis, além de tratar de fomentar as exportações a estes países de biocombustíveis.  A viagem européia de Lula será concluída no dia 17 de setembro, na Espanha, onde será recebido pelo rei Juan Carlos e pelo presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero.Com Efe

Mais conteúdo sobre:
FinlândiaLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.