Lula reforça críticas a juros bancários

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o governo está empenhado na redução das taxas de juros. "O que vamos fazer é criar todas as condições para que os juros possam ser reduzidos e as pessoas pegarem dinheiro e não pagarem as taxas escorchantes que pagam hoje", afirmou, em solenidade realizada na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Ele disse, ainda, que os juros cobrados hoje pelos bancos impedem as pessoas de comprar e, até, de comer. "Hoje, você sabe que uma pessoa que precisa pegar R$ 200,00 numa dessas empresas que fazem propaganda na TV, pagam até 332% de juros ao ano", observou. "Queremos emprestar esse dinheiro a 2% para as pessoas pegarem e poderem comprar o rádio, a geladeira e comida, inclusive". Amanhã, o governo vai anunciar medidas para aumentar a oferta de crédito a pessoas até sem conta em banco, o chamado microcrédito, por bancos oficiais, numa tentativa de induzir os bancos a baixarem suas taxas de juros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.