Lula recorrerá a Serra e Aécio para tentar salvar CPMF

Pressionado pelo PSDB e com margem muito apertada de votos para aprovar a prorrogação da CPMF no Senado, o governo vai desencadear uma operação de guerra, nos próximos dias, na tentativa de salvar o imposto do cheque. Irritado com os senadores tucanos, que rejeitaram a proposta do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedirá aos governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas, Aécio Neves, ambos do PSDB, que entrem na negociação. Além disso, o governo fará acenos para compensar Estados e municípios atingidos pela desoneração do Imposto de Renda.O Planalto corre contra o tempo para evitar que a Executiva Nacional do PSDB feche questão contra a CPMF, na próxima semana. Lula vai se reunir hoje com Aécio, em Belo Horizonte (MG), onde discutirá alternativas para superar o impasse. Em conversas reservadas, o presidente disse que Serra e Aécio - os dois pré-candidatos do PSDB à sucessão presidencial, em 2010 - precisam ter a ?responsabilidade? de ajudar a aprovar o imposto.No Planalto, ministros diziam ontem que os dois podem rachar a base tucana. Na prática, porém, os articuladores do governo estão muito preocupados e a ordem é cortejar o PSDB. ?Não é o fim do mundo, mas a situação não está nada fácil?, admitiu o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). ?O ambiente endureceu e é preciso desanuviar?, resumiu o presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC).O governo sabe que precisará negociar com o PSDB medidas de compensação para Estados e municípios, mas ainda não encontrou a fórmula. Serra quer a desoneração dos investimentos em saneamento básico enquanto Aécio insiste em que Estados tenham maior fatia da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).?O PSDB não é chiclete para ficar no puxa-encolhe. Podem oferecer ouro em pó para os governadores que não vai adiantar?, afirmou o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM). ?Não vamos jogar bóia para esse governo.? As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.