Lula reclama a empresários que, sem CPMF, preços não caíram

Presidente diz que, ao invés de reduzir os preços, extinção da cobrança aumentou os ganhos de empresários

Reuters,

26 de maio de 2008 | 12h30

Em meio a discussões sobre a recriação da CPMF, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou nesta segunda-feira, 26, dos empresários que não alteraram os preços de seus produtos com o fim do chamado imposto do cheque no final do ano passado.    Veja também: Entenda a Emenda 29  Entenda a cobrança da CPMF  "É engraçado, não vimos os produtos reduzirem de preço com o fim da CMPF. Parece que apenas aumentou o ganho daqueles que pagavam CPMF", disse o presidente na abertura do 20º Fórum Nacional, na sede do BNDES. Lula lembrou que, com o fim da CPMF, o governo deixou de arrecadar R$ 40 bilhões anuais e que "quem perdeu com isso foi o PAC da saúde". "Ao falar de CPMF aqui, certamente arrumei algum adversário", acrescentou Lula ao se dirigir a empresários presentes na platéia. O presidente também cobrou do Congresso a reforma tributária para este ano e voltou a afirmar que o combate à inflação no Brasil não é de responsabilidade somente do governo federal.  "A inflação não é apenas uma coisa do governo, jamais pedirei para alguém ser fiscal da inflação, mas todos temos responsabilidades, sabemos onde está e de onde ela vem. Quem perde com a inflação são os pobres", afirmou Lula. Apesar dessa preocupação, o presidente afirmou que a economia brasileira está trilhando o caminho certo e ruma ao crescimento sustentável. "O Brasil fez o que deve ser feito, crescendo 5,4% em 2007 e neste momento crescemos num ritmo de 5% ao ano." Ele destacou que a economia brasileira está mais forte para enfrentar um eventual impacto da crise originada no mercado imobiliário norte-americano. "A crise que não cede nos Estados Unidos ainda pode nos afetar, mas estamos mais bem preparados para enfrentá-la, porque estamos mais sólidos e sabemos que o crescimento é necessário para inclusão social e distribuição de renda", disse. "A crise atual mostra que nos países ricos há muita coisa para ser consertada", afirmou Lula, ao citar mais uma vez as barreira aos subsídios agrícolas.

Tudo o que sabemos sobre:
CPMFLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.