Lula recebe senadores eleitos do PMDB nesta terça

Antes de embarcar à noite para a Nigéria, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu se empenhar pessoalmente para obter o apoio integral do PMDB no segundo mandato. Ele deve receber nesta terça os ex-governadores Jarbas Vasconcelos (PE) e Joaquim Roriz (DF) para uma conversa, às 10 horas, no Palácio do Planalto. Os dois foram eleitos em outubro para o Senado e já anunciaram a decisão de incorporar o bloco independente da bancada do PMDB. Além de Jarbas e Roriz, participam também desse grupo os senadores Pedro Simon (RS), Geraldo Mesquita (AC), Mão Santa (PI) e Almeida Lima (SE). Todos têm problemas políticos com o PT em seus Estados e reforçam a oposição com duras críticas ao governo de Lula. Apesar disso, os seis não têm resistência à reeleição de Renan Calheiros (PMDB-AC) para a presidência do Senado.Enquanto Lula tenta montar seu governo de coalizão partidária, tendo o PMDB como principal parceiro do PT no Congresso, os peemedebistas procuram também a pacificação interna. Essa operação está em curso e, nesta terça, será dado mais um passo. O presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP) - que esteve com Lula na semana passada e aceitou participar do governo de coalizão - deve receber em seu apartamento, para um almoço, os senadores Renan Calheiros e José Sarney (PMDB-AP) e o ex-governador Orestes Quércia.Será uma conversa para analisar os próximos caminhos e para montar a estratégia da reunião do PMDB, que Temer quer fazer na quinta-feira, com o objetivo de formalizar a participação do partido no governo. Se o desfecho for favorável à união da ala governista e do grupo que apoiou a candidatura do tucano Geraldo Alckmin, Lula conseguirá a chamada "unidade" do PMDB. Porém, na prática, essa unidade e a lealdade ao Planalto só poderão ser comprovadas nas votações de interesse do governo no Congresso e na disputa dos cargos entre PMDB e PT por postos importantes no Legislativo.Na quinta-feira, além do Conselho Político, o PMDB deve reunir a Executiva Nacional. O encontro previsto para esta terça foi adiado, já que Temer preferiu fazer as duas reuniões no mesmo dia. Outro assunto que deverá dominar as conversas internas do PMDB é a sucessão do comando partidário. A ala governista já está articulando a eleição do ex-ministro Nelson Jobim, que tem o apoio do presidente Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.