Lula recebe hoje texto da nova política de inteligência

O texto da nova Política Nacional de Inteligência será apresentado hoje à tarde ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para substituir a que está no Congresso desde 2002 e nunca foi apreciada. A proposta começará a ser discutida exatamente no dia em que Wilson Trezza completa um ano interinamente no cargo de diretor geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Agencia Estado

02 de setembro de 2009 | 01h09

Trezza substituiu o delegado da Polícia Federal Paulo Lacerda, que foi afastado durante as investigações sobre a possível participação de agentes da Abin em grampos clandestinos no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Congresso Nacional. Apesar da expectativa dos servidores da Abin, Lula não deverá discutir nomes para a direção do órgão.

Na reunião, que contará com a presença dos oito ministros que integraram o comitê que discutiu a política de inteligência, serão analisadas ainda modificações no Sisbin - Sistema Brasileiro de Inteligência. A nova política será mais detalhada na questão de ameaças contra o Estado. Entre elas, serão incluídos o terrorismo internacional, o narcotráfico e a sabotagem nas áreas de tecnologia, agronegócios, indústria aeronáutica e aeroespacial. Ela deverá prever ainda reforço na área de contrainteligência e em trabalhos voltados para o campo externo.

Tudo o que sabemos sobre:
Políticainteligência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.