Lula recebe governador do RS

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebe hoje, às 11 horas, o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB). Um dos temas do encontro deverá ser o plantio de soja transgênica. Os produtores gaúchos querem que o presidente edite uma medida provisória autorizando novamente o plantio do produto geneticamente modificado nesta safra (2004/2005), a exemplo do que ocorreu na safra passada. Mas o presidente resiste a esta iniciativa, já tendo anunciado que não a tomará e que cabe ao Congresso resolver esse problema. E ontem a Secretaria de Coordenação Política divulgou uma nota, negando que o governo pretenda editar a MP, que é defendida até pelo líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), depois que o plenário daquela casa do Congresso não conseguiu votar, por falta de quórum, o substitutivo do senador Ney Suassuna (PMDB-PB) ao projeto da Lei de Biossegurança que, entre outros, libera o plantio da soja transgênica que, no Rio Grande do Sul, representa 90% de toda a soja plantada. Líderes oposicionistas já sinalizaram que também são favoráveis à edição de uma MP e que vão apoiá-la, quando colocada em votação no Senado. A época de plantio está chegando, e o Senado, após acordo entre os líderes partidários na casa, ontem, marcou apenas para 5 de outubro a votação da Lei de Biossegurança. E esta, se aprovada, ainda terá de voltar à Câmara, já que sofreu modificações no Senado.Em sua audiência de hoje com Lula, da qual deverá participar o ministro da Defesa, José Viegas, Germano Rigotto deverá também falar sobre a situação da Varig. Ontem, Viegas informou que, no próximo dia 10, o Ministério da Defesa vai prorrogar mais uma vez o prazo para a assinatura dos contratos de concessão da Varig e da Vasp. Rigotto deverá aproveitar o encontro para voltar a reivindicar a inclusão de recursos no Orçamento da União, em 2005, para o fundo de compensação dos Estados pela desoneração das exportações.Além do governador gaúcho, o presidente Lula tem ainda, em sua agenda de hoje, uma reunião de coordenação, às 15h30, e despachos às 9, 12 e 15 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.