Lula recebe família de Jean Charles antes de voltar ao Brasil

Para evitar maiores constrangimentos durante a viagem de três dias, que foi especial, chamada de visita de Estado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou para se encontrar com os familiares de Jean Charles de Menezes, já no aeroporto, durante 20 minutos, antes de decolar de volta para o Brasil. Alex Alves, primo do brasileiro morto, e mais três outros parentes se reuniram com Lula, e vários assessores. O brasileiro foi executado pela polícia britânica, que disse tê-lo confundido com um terrostista."O encontro foi muito positivo e espero que o resultado venha na mesma proporção", disse Alex Alves, depois de elogiar a atitude de Lula de tê-los recebido. "Ele (Lula) age como ser humano e não como político. Ele foi tão humano quanto o ministro Celso Amorim (das Relações Exteriores)", afirmou, ao comentar que a família pediu ao presidente que haja transparência na apuração do caso."Que eles apontem os erros, cobre a correção deles e não escobrir o erro e guardar para ele", observou o brasileiro, ao reiterar que pediu a Lula que uma outra comissão de autoridades brasileiras viesse a Londres saber exatamente o que se sabe do ocorrido.Mais cedo, ainda na entrevista coletiva, o presidente Lula ofereceu apoio à família de Jean Charles e acentuou que "tem confiança" de que a justiça britânica vai apurar o que tiver que ser feito. "Queremos que haja justiça. A família merece apoio do Reino Unido e do Brasil para desvendar o que aconteceu", comentou. "Tenho certeza que tanto o povo inglês quanto o brasileiro sentimos muito o que houve. Este é um tipo de incidente que ninguém quer que aconteça nem no Reino Unido, nem no Brasil, nem em lugar nenhum no mundo."Após a entrevista, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim , anunciou que o Itamaraty está criando uma subsecretaria exclusivamente para atender a comunidade brasileira no exterior, separando-a de um departamento especial do MRE.

Agencia Estado,

09 de março de 2006 | 20h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.