Lula realiza nova sessão de radioterapia em SP e passa bem

Por enquanto, não há previsão de alta; ex-presidente recebe também hidratação endovenosa

Agência Estado

15 de fevereiro de 2012 | 12h20

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou nesta quarta-feira, 15, nova sessão de radioterapia, como parte do tratamento contra um câncer de laringe diagnosticado no ano passado. De acordo com informações do Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, onde ele é assistido pelos médicos, Lula está clinicamente bem. Aliado às sessões de radioterapia, o ex-presidente recebe também hidratação endovenosa. Não há previsão de alta hospitalar.

 

Lula deu entrada no hospital Sírio-Libanês no sábado, 10, devido a uma inflamação na laringe e no esôfago, em consequência do tratamento contra o câncer. A última sessão de radioterapia está prevista para ocorrer nessa sexta-feira, 17. Ainda não há expectativa de alta hospitalar. O tratamento do ex-presidente está sendo coordenado pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, que tem na equipe os médicos Paulo Hoff, Artur Katz, João Luis Fernandes da Silva e Cláudia Cozer.

Ainda no sábado, uma tomografia realizada no hospital não detectou sinais do tumor, mas o resultado - ainda que considerado "excelente" pelos médicos - não é conclusivo. Boletim médico divulgado no domingo, 12, informou que o ex-presidente está "clinicamente bem" e que se submete a "tratamento fonoaudiológico e fisioterápico, hidratação endovenosa e assistência nutricional, alimentando-se por via oral".

 

O exame que determinará se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva eliminou completamente o tumor em sua laringe só será realizado em quatro a seis semanas, segundo o oncologista Paulo Hoff.

Os médicos afirmaram que o ex-presidente será avaliado diariamente e deve concluir até o final da semana o total planejado de 33 sessões. 'Nós estamos nos 42 minutos do segundo tempo, e o jogo está a nosso favor', disse Artur Katz. 'Precisamos continuar jogando para continuar a vencer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.