Lula reage bem à radioterapia e volta a despachar em instituto

Ex-presidente foi submetido à quinta sessão de radioterapia nesta terça

Gustavo Uribe, de Agência Estado

10 de janeiro de 2012 | 15h46

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem reagido bem às primeiras sessões de radioterapia no tratamento contra o câncer de laringe e voltou a despachar na tarde desta terça-feira, 10, na sede do Instituto Lula, na capital paulista. Nesta manhã, o ex-presidente chegou ao Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, por volta das 10h30, e foi submetido, por cerca de vinte minutos, à quinta sessão de radioterapia.

 

O ex-presidente deixou o hospital por volta das 12h, quando dirigiu-se à sede do Instituto Lula, onde reuniu-se com a equipe da entidade para tratar de assuntos internos. Na tarde de segunda, o ex-presidente também despachou na sede do instituto.

Segundo interlocutores do petista, o ex-presidente não apresentou até o momento efeitos colaterais recorrentes para esse tipo de tratamento, como mucosites, vermelhidões ou escamações.

 

A expectativa da equipe médica é de que Lula enfrente o ciclo de radioterapia, cuja duração total deve ser de seis a sete semanas, tão bem quanto reagiu aos três ciclos de quimioterapia, no final do ano passado. Os efeitos colaterais ao tratamento médico costumam se manifestar na terceira ou quarta semanas de tratamento, ou seja, a partir da próxima semana.

 

Após a sessão de radioterapia desta manhã, o ex-presidente recebeu as visitas de um dentista e de um fonoaudiólogo, para evitar o agravamento de possíveis efeitos colaterais do tratamento médico.

 

A previsão é de que nesta quarta-feira, 11, o petista seja também submetido a uma sessão de quimioterapia, considerada pela equipe médica como uma terapia complementar ao ciclo de radioterapia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.