Lula quer falar com oposição sobre reforma política, diz Múcio

Governo iria retomar a discussão ainda em dezembro, mas foi convencido a adiá-la para não atrapalhar a CPMF

Tânia Monteiro, do Estadão

27 de novembro de 2007 | 16h20

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer convocar os presidentes de partidos, possivelmente, inclusive alguns da oposição, para discutir um projeto de reforma política a ser encaminhado ao Congresso Nacional a partir de janeiro de 2008. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 27,  pelo ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro.   Há uma semana, o governo havia decidido retomar a discussão da reforma política ainda em dezembro, mas foi convencido a adiá-la, para evitar polêmicas que poderiam atrapalhar a votação da emenda que prorroga a vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que enfrenta sérias resistências no Senado.   O encontro de Lula com os partidos foi sugerido por integrantes do Conselho Político - formado pelos dirigentes dos 11 partidos da chamada coalizão de governo - e deve buscar consenso e apoio popular para temas como financiamento público de campanha e federação de partidos com alianças que não durem apenas uma eleição.   Em reunião do plenário do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), realizado nesta tarde no Palácio do Planalto, José Múcio recebeu o relatório do próprio CDES sobre reforma política. Coube ao presidente da organização Cáritas Brasileira, bispo Demétrio Valentini, entregar o documento ao ministro José Múcio. Segundo ele, o governo precisa "mostrar urgência, para que a política seja colocada em prática eficazmente em benefício do povo brasileiro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.