Lula quer entrar para história por combater corrupção e gerar emprego

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que não quer entrar para a história apenas como um presidente a mais, mas sim por combater a corrupção, gerar empregos, construir moradias e distribuir renda no País. Ele discursou no lançamento das obras do Conjunto Habitacional Meu Lar, em Rondonópolis (MT). Ao comentar os primeiros cinco meses de governo, Lula disse que está "semeando" as coisas que precisam ser feitas e que como um pai de família está fazendo o que pode por seus filhos, embora nem sempre possa dar tudo a eles. Nesse caso, segundo o presidente, o filho tem que saber que o pai está fazendo o máximo que pode. Lula anunciou que neste mês vai lançar o programa "Primeiro Emprego" e o que considera o maior programa de cooperativa de crédito, para ajudar os micro e pequenos empresários. Ele assumiu o compromisso de construir a rodovia Cuiabá-Santarém, antiga reivindicação da região, e explicou que às vezes o dinheiro prometido para obras de infra-estrutura demora para chegar, porque existem "caminhos de papel e burocracia", exigidos pelo Tribunal de Contas da União. Ao chegar a Rondonópolis, Lula quebrou o protocolo no aeroporto e fez questão de cumprimentar populares. Ele quis cumprimentar também os presentes ao lançamento do conjunto habitacional, no bairro Pedra 90, causando muita euforia. O comando do Corpo dos Bombeiros do Estado estima que cerca de 4 mil pessoas participaram da cerimônia. Depois, Lula seguiria de helicóptero para o Terminal Ferroviário de Taquari, de onde embarcaria de trem para o Terminal Ferroviário de Alto Araguaia, que será inaugurado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.