Lula quer destacar Dilma como gestora

Presidente diz que ela precisa dosar sua imagem de candidata e gerente do PAC

Leonencio Nossa, O Estadao de S.Paulo

21 de fevereiro de 2009 | 00h00

Num momento de superexposição política, a candidata do Palácio do Planalto para a disputa de 2010, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), foi orientada pelo próprio presidente a dosar as imagens de "candidata" e de "administradora". Ao final de uma reunião com assessores especiais do Planalto, Lula pediu que Dilma se concentre agora no trabalho de ministra e coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O presidente aconselhou-a a "imergir" para reforçar a imagem de gestora.O relato das avaliações e da decisão foi feito ao Estado por um dos participantes da reunião. Lula considerou "positiva" a divulgação do nome da ministra nas últimas semanas, mesmo com a decisão dos partidos oposicionistas (DEM e PSDB) de recorrer à Justiça para reclamar que o governo antecipou o jogo eleitoral. Ao avaliar o quadro político, o presidente disse aos auxiliares e ministros da área política que os ataques a ele e à ministra mostraram que a oposição subestimou o potencial político de Dilma. Disse ainda que só agora a oposição percebeu que a ministra é uma candidata com chances.Para Lula, a oposição cometeu o mesmo erro em 2005, quando considerou que o PT estava rifado e fora do páreo da eleição de 2006. O partido e Lula foram para a campanha da reeleição debaixo da repercussão do escândalo do mensalão.Numa conversa com colegas de governo, Dilma confidenciou que vive uma situação única na vida. Comentou que nunca teve um contato direto com multidões, como ocorre agora - a ministra esteve com Lula num palanque armado na praça da igreja matriz de Salgueiro, em Pernambuco, e em eventos organizados pelo PT que reuniram centenas de pessoas.Lula ressaltou na reunião com os auxiliares que a ministra não pode passar a imagem de que está antecipando o debate eleitoral. Dilma continuará percorrendo o País, mas deverá se limitar às viagens para inspecionar obras do PAC.O presidente avalia que a aproximação de Dilma com setores do PT teve resultado positivo e mostrou que as resistências ao nome dela por alguns petistas perderam força. Por isso, ela não precisa se preocupar, nos próximos meses, em garantir espaço na agenda para contatos com o partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.