Lula quer Aldo Rebelo no Ministério da Defesa

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende trocar o ministro da Defesa, Waldir Pires, embora o considere um "companheiro leal", por Aldo Rebelo (PCdoB-SP). Mas, por não querer magoar Pires, Lula pode esperar mais um pouco para substituí-lo. Seus auxiliares já sondaram Aldo para ocupar o posto. Tiveram a impressão de que ele pode aceitar a tarefa, pois conta com o apreço dos militares, apesar de ser comunista. No auge da disputa pelo comando da Câmara, em fevereiro, Aldo jurou que não aceitaria nenhuma proposta para voltar ao governo. Entre 2004 e 2005, ele foi ministro da Coordenação Política.ChiadeiraA decisão de Lula de criar a Secretaria dos Portos para compensar o PSB de Ciro Gomes (CE), entregando a pasta ao ex-ministro da Integração Nacional, Pedro Brito, está provocando ruidosos protestos do PR(ex-PL). Em conversa com dirigentes do PMDB, na noite da última segunda-feira, 19, Lula disse que não recuará da decisão, apesar da chiadeira do PR, que comanda o Ministério dos Transportes e não quer perder poder no latifúndio da Esplanada."Eu estou criando, sim, a Secretaria dos Portos", afirmou Lula aos peemedebistas. "O Ministério dos Transportes é muito grande", emendou, ao comentar que o assunto referente a portos, por exemplo, deve sair da alçada da pasta para ser tratado pelo Planalto. O plano de Lula prevê que a nova secretaria seja vinculada à Presidência da República."Se o presidente bater o pé, e montar essa Secretaria dos Portos, vai criar uma situação delicada para nós e para ele", afirmou o líder do PR na Câmara, Luciano Castro (RR). "O senador Alfredo Nascimento foi convidado para voltar a ser ministro dos Transportes, mas com um ministério inteiro", completou, numa referência ao senador que já foi ministro e tem articulado a operação engorda do PR, com inúmeras filiações. Castro disse que é "tecnicamente impossível" tirar a área de portos dos Transportes. "Isso não tem fundamento. Fica parecendo um casuísmo", reclamou.Comemoração socialistaEnquanto o PR esperneia, os socialistas comemoram. Para o líder do PSB no Senado, Renato Casagrande (ES), Lula está atuando para promover a paz na coalizão. "Nenhum partido pode chantagear o presidente", insistiu Casagrande. "O equilíbrio de forças é que dá estabilidade ao governo: o presidente não pode contratar escândalos futuros", provocou.A estocada de Casagrande tem endereço certo: o inchaço do PR - partido que quando se chamava PL esteve envolvido no escândalo do mensalão. Na operação engorda capitaneada por Nascimento, a bancada do PR pulou de 25 para 38 deputados nos últimos dias.Antes de optar pela Secretaria de Portos, Lula ouviu do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PE), a sugestão para criar uma pasta que abrigasse também os aeroportos. Num primeiro momento o presidente gostou da idéia. Depois, ao avaliar o assunto com a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, achou melhor não mexer no vespeiro dos aeroportos, principalmente agora, com a crise do setor aéreo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.