Lula quer acordo comercial entre América Central e Mercosul

O presidente Luiz Inácio Lula daSilva defendeu nesta terça-feira em sua visita a Honduras anecessidade de um Tratado de Livre-Comércio entre a AméricaCentral e o Mercosul para um intercâmbio mais igualitário entreos países latino-americanos. O Mercosul é integrado por Argentina, Brasil, Paraguai eUruguai e tem o Chile e a Bolívia como membros associados. Estáem trâmite o ingresso do México e da Venezuela. Já os países de América Central, salvo o Panamá, compõe, háum ano, um tratado com os Estados Unidos, que também inclui aRepública Dominicana. "Devemos ter como objetivo no horizonte próximo olançamento de negociações para um Tratado de Livre-Comércioentre o Sica (Sistema de Integração Centro-americano) e oMercosul", disse Lula em discurso após reunião com o presidentede Honduras, Manuel Zelaya, na sede do governo. Lula realiza visitas que começaram no domingo no México eque incluem ainda Nicarágua, Jamaica e Panamá. O presidente brasileiro assegurou que um acordo entre aAmérica Central e o Mercosul "respeitaria as assimetrias" entreas economias das duas regiões. Lula assinou com Zelaya um acordo de cooperação técnicapara produção e uso de etanol, utilizado sozinho ou combinadocom gasolina. O governo hondurenho pretende impulsionar afabricação do combustível, que o Brasil conhece há 30 anos. "O Brasil está totalmente disposto a cooperar com Hondurasseja no setor de etanol, seja no de biodiesel", afirmou Lula,cujo foco da viagem é exatamente o intercâmbio no setor debiocombustíveis. Honduras, como outros países da América Central, foiafetada pelos altos preços do petróleo e já desenvolve umprojeto para a produção de etanol à base de cana-de-açúcar eoutro para produzir biodiesel à base de palma africana. (Por Gustavo Palencia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.