Lula: quando há exageros no Congresso, eu veto

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em entrevista a uma emissora de rádio em Aracaju (SE), que quando há algum exagero nas votações do Congresso, ele veta. Ao ser indagado sobre a decisão de ontem do Senado que retoma a discussão sobre a distribuição igualitária de royalties do petróleo entre Estados e municípios, o presidente comentou que fica "constrangido" porque, "em ano eleitoral, é sempre muito delicado colocar coisas para votar no Congresso Nacional, pois deputados e senadores ficam, eu diria, mais sensíveis à pressão de prefeitos, de sindicatos, da sociedade".

TÂNIA MONTEIRO E ÂNGELA LACERDA, ENVIADAS ESPECIAIS, Agência Estado

10 de junho de 2010 | 18h11

Sem deixar de elogiar o Congresso, citando que o Legislativo votou 99% do que o governo gostaria, o presidente comentou que "há quem diga que não se deveria votar nada em ano eleitoral" e, em seguida, advertiu: "quando há algum exagero, eu veto".

Em seguida, o presidente avaliou que, no caso do pré-sal, os parlamentares "votaram a coisa mais importante que é a partilha, está garantido o novo modelo de exploração no Brasil". Ele se queixou, no entanto, de que eles "carimbaram muito" o Fundo Social. "Foi 50% para educação, daqui a pouco tem 50% não sei para que, ou seja, daqui a pouco o governo não tem como fazer política social, porque já está carimbado", disse Lula. Ele comentou, no entanto, que vai negociar com o Congresso este texto antes que ele volte para a Câmara dos Deputados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.