Lula promete solução sobre tabela do IR até sexta-feira

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, durante seu discurso na entrega de viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Ministério da Saúde, na fábrica da DaimlerChrysler, que "a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física é uma inquietação há muito tempo, desde o período em que era sindicalista e que hoje está presente entre os trabalhadores assalariados e toda a classe média do País". Lula ressalvou, no entanto, que o maior problema do Imposto de Renda reside no fato de que as alíquotas do tributo "podem não ser" as mais justas conforme a renda do trabalhador. "Precisamos discutir a justeza da alíquota, que há muitos anos se reivindicam que seja reajustada pelo menos pela taxa de inflação", admitiu, ao enfatizar que essa reivindicação pertence a toda a classe média assalariada brasileira e não só aos trabalhadores. O presidente comprometeu-se a dar uma resposta sobre esta reivindicação até sexta-feira, quando o sindicato dos metalúrgicos do ABC fará uma manifestação na Rodovia Anchieta cobrando a correção da tabela do IRPF. "Espero ter uma boa notícia até sexta-feira." Lula lembrou que de 176 milhões de pessoas que compõem a população brasileira, somente 8,5 milhões contribuem com o Imposto de Renda da Pessoa Física. "São privilegiados aqueles que podem pagar Imposto de Renda porque ganham um pouco mais", afirmou, sendo interrompido por uma vaia, ainda que tímida, dos metalúrgicos da montadora presentes no evento. "Todo mundo que ganha salário mínimo adoraria ganhar o que os metalúrgicos ganham para pagar Imposto de Renda", insistiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.