Lula promete manter tratado de Itaipu; Lugo quer renegociar

O presidente Luiz InácioLula da Silva afirmou nesta segunda-feira que a vitória doex-bispo Fernando Lugo nas eleições presidenciais do Paraguainão mudará o tratado da usina hidrelétrica de Itaipu,construída pelos dois países. Já Lugo disse estar "esperançoso"de conseguir a renegociação. Ao longo de sua campanha, Lugo se comprometeu a renegociaro tratado da usina binacional, erguida há mais de três décadas,quando regimes militares dominavam Brasil e Paraguai. O acordoestabelece que cada um é dono de metade da energia produzida(média de 92 mil gigawatts-hora por ano), e que os paraguaiosdevem vender o seu excedente aos brasileiros. "Nós temos um tratado, e o tratado vai se manter", disseLula a jornalistas após participar de uma reunião daConferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento(Unctad), realizada na capital de Gana, Acra. A transcrição daentrevista foi divulgada pelo Palácio do Planalto. O presidente, no entanto, deixou espaço para conversarsobre o assunto com Lugo, que pôs fim ao domínio de 61 anos doPartido Colorado no país. "Não muda o tratado. O Brasil tem constantes reuniões com oParaguai. Eu, nesses cinco anos de governo, tive acho que umas20 reuniões com o Paraguai, sobre vários temas, não é apenas aquestão de Itaipu... Temos muito, muito, muito para continuarconversando com o Paraguai. E vamos conversar." O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, admitiuque, apesar da disposição de manter o Tratado de Itaipu, ogoverno brasileiro pode concordar com um eventual reajuste dosvalores pagos ao Paraguai pela energia a que o país temdireito, mas não utiliza. Segundo Amorim, em entrevista à Agência Brasil, esse tipode reajuste já foi feito no passado, diante da defasagam nospreços, e poderá ser repetido. Os assessores de Lugo afirmam que a energia de Itaipudeveria ter um preço bem mais elevado que o atual, e que odinheiro arrecadado poderia financiar obras sociais e deinfra-estrutura no Paraguai. "É uma porta que se abriu de diálogo, de conversação depoisde tantos anos e isso nos alegra e nos enche de esperança",disse Lugo nesta segunda-feira em entrevista à Reuters. O governo brasileiro tem dito que o valor calculado notratado é correto porque garante à usina o cumprimento de seuscompromissos financeiros. A central acumula dívida de quase 19bilhões de dólares com a estatal brasileira Eletrobrás, quevence em 2023. De acordo com dados do lado brasileiro de Itaipu, o custoda energia vendida pelo Paraguai ao Brasil é de 45,31 dólarespor mega-watts. A hidrelétrica gera cerca de 20 por cento daenergia consumida no Brasil, a maior parte nas regiões Sul eSudeste. TELEGRAMA Lula também afirmou que a vitória de Lugo, que "pelejou faztempo, batalhou muito tempo", é uma vitória da democracia noParaguai, já que houve um câmbio, e esse câmbio, se foi vontadedo povo, merece todo o meu respeito". Perguntado se Lugo poderia gerar com Itaipu problemassimilares aos que o presidente boliviano, Evo Morales, causouao ocupar refinarias da Petrobras para renegociar contratos,Lula disse que o Brasil, "como maior economia, tem que estarsempre aberto a fazer com que as coisas tenham tratamento depaz na América do Sul. Esse é o meu papel". Mais tarde, o Ministério das Relações Exteriores divulgou oconteúdo de um telegrama enviado pelo presidente brasileiro aLugo, no qual o paraguaio é cumprimentado pela vitória. "Peço aceitar meus cumprimentos, bem como meus calorososvotos de êxito à frente dos destinos do Paraguai. No período demudanças que se anuncia, Vossa Excelência poderá contar com oapoio solidário e a amizade do Brasil e do meu governo", dizLula segundo o texto, divulgado pelo Itamaraty. (Com reportagem de Daniela Desantis e Antonio de la Jara) (Texto de Maurício Savarese e Tatiana Ramil, Edição deIsabel Versiani)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.