Lula promete doar terras da União para Roraima

Informação é do senador Romero Jucá, que esteve com o presidente ontem

Leonencio Nossa, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

12 de dezembro de 2008 | 00h00

Um dia depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) praticamente decidir pela manutenção em terra contínua da reserva indígena Raposa Serra do Sol, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou a discutir compensações para empresários e políticos afetados pela decisão. Em encontro no Palácio do Planalto, no início da noite de ontem, Lula disse que vai repassar 6 milhões de hectares de terras da União para o governo de Roraima, segundo o senador Romero Jucá (PMDB-RR), um dos aliados dos arrozeiros que ocupam terras da reserva. Jurista descarta mudança nos votos dos ministros Especial explica o conflito entre índios e arrozeiros TV Estadão: Assista a trechos do julgamento O governador de Roraima, José Anchieta Júnior (PSDB), ao deixar o gabinete do presidente, disse que não se considera um derrotado com a decisão do Supremo. Mas, visivelmente abatido, Anchieta disse que não era "governador de arrozeiros". "Sou governador do Estado de Roraima", afirmou. Indagado se estava tomando medidas para evitar distúrbios entre índios e arrozeiros diante da decisão, ele respondeu: "Os arrozeiros não causam problemas. Se houver esse tipo de problema será entre os índios", afirmou. "A criação de uma reserva contínua não é apoiada por todos os índios."Presidente da Funai de 1986 a 1988, Jucá não escondeu a decepção com a derrota dos arrozeiros no STF. "Infelizmente a decisão foi essa", disse. "Agora, precisamos tratar do futuro de Roraima."DECRETOO senador informou que no dia 28 de janeiro Lula assinará decreto que repassa terras da União para o Estado. Ele avaliou que não se trata de compensação, mas um direito que Roraima tem desde que deixou de ser território federal.Jucá disse que o presidente pretende visitar o Estado logo depois de assinar o decreto. O Palácio do Planalto ainda não confirmou a viagem. Desde que Lula assumiu o poder em 2003, Roraima é o único Estado que ele não visitou oficialmente. Segundo assessores do Planalto, o conflito entre índios e arrozeiros, que se arrasta desde o início de seu governo, impediu essa visita ao Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.