Lula promete consultar aliados sobre projetos importantes

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se comprometeu, nesta quarta-feira, 13, durante primeira reunião do Conselho Político, no Palácio do Planalto, a adotar com os partidos aliados um novo modelo de interlocução, pelo qual nenhum projeto será enviado ao Congresso sem passar pelo crivo do conselho, formado pelos dirigentes de dez partidos que participarão do chamado governo de coalizão. "Quero ter uma sintonia fina com os partidos políticos que me apóiam", declarou Lula, de acordo com relato do ex-ministro Roberto Amaral, do PSB. Dentro do novo modelo de interlocução, a primeira proposta a ser submetida aos aliados - em reunião do conselho marcada para quarta-feira,20 - será o pacote de medidas destinadas a incrementar o desenvolvimento da economia. Com a nova estratégia, o presidente terá o respaldo das bancadas aliadas nas votações de projetos do governo. Assim, evitará que seus partidários tomem conhecimento das propostas quando já estiverem tramitando no Congresso. Na reunião desta quarta, os aliados não discutiram com o presidente, segundo participantes, a disputa existente na base do governo em torno do lançamento de candidaturas à presidência da Câmara. Esse assunto só será decidido no encontro da quarta-feira. Até lá, os dirigentes partidários aliados tentarão definir uma posição em suas próprias bancadas para levá-la ao presidente. "Se alguém disser que há consenso entre os partidos, não está dizendo a verdade", afirmou há pouco o presidente de honra do PL, senador eleito e ex-ministro Alfredo Nascimento (AM). Ele contou que, antes da conversa de com Lula, os dirigentes partidários fizeram uma reunião prévia e concluíram que ainda não há consenso sobre a sucessão na Câmara. Ao abrir o encontro, Lula disse que os partidos terão participação efetiva nas decisões sobre os projetos do governo. Ele deu ênfase à necessidade de crescimento da economia e à valorização da participação dos aliados nas decisões. Segundo o ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, parte das medidas econômicas que estão sendo analisadas deve estar pronta até quarta-feira para ser apresentada ao Conselho. "O que estiver concluído será apresentado aos partidos", antecipou Tarso.

Agencia Estado,

13 Dezembro 2006 | 20h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.