Lula promete a idosos redução das filas do INSS

Embora o voto dos idosos seja facultativo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva gastou boa parte da manhã de hoje para beijar e abraçar pessoas da chamada terceira idade e prometer redução das filas do INSS e dos juros nos empréstimos consignados a aposentados e pensionistas. Num discurso durante a 1ª Conferência Nacional dos Idosos num hotel da cidade, Lula foi ovacionado ao defender respeito e carinho das famílias aos mais velhos. "Às vezes temos pessoas de 30 anos tão de mal com a vida que parecem ter 90 anos e pessoas de 90 anos de que parecem ter 30 anos", disse.O presidente ressaltou que o governo rediscute a taxa dos empréstimos consignados e destacou medidas para a redução dos preços dos remédios. Mas recomendou que os idosos não repassem o dinheiro dos empréstimos para parentes. "Tem velhinho pegando dinheiro para os netos", reclamou.Lula destacou a importância da medida que permite a comercialização de remédios avulsos, os chamados medicamentos fracionados. Ao falar que um idoso gasta em média R$ 37 por mês no tratamento da hipertensão, os participantes do encontro levantaram os braços para dizer que o gasto era maior. O presidente voltou a dizer que governos funcionam melhor sob pressão da sociedade. Novamente, afirmou que é o momento dos movimentos sociais fazerem reivindicações. "Aproveitem agora, pois a partir de janeiro pode ter outro governo."Sob gritos histéricos da platéia, Lula disse que a primeira-dama Marisa Letícia, presente ao evento, é bem casada. "Olhe para o rosto da Marisa, que não chegou à terceira idade e você vê que é uma mulher feliz, e acho que é uma das mais bem casadas do País", disse.Ao terminar o discurso, os idosos cercaram o presidente para abraçá-lo e beijá-lo, deixando atônitos os seguranças. A uma pergunta da imprensa se o problema das filas do INSS só seria resolvido num segundo mandato, Lula ressaltou que o governo trabalha para aliviar o "sofrimento" dos idosos. "Está sendo feito um trabalho, eu diria, de uma grandeza extraordinária", disse. "Dia 16 estarei indo a Recife inaugurar um call center em que vão trabalhar 1.200 pessoas para marcar a perícia médica, que é um dos grandes problemas da fila", acrescentou. "Então ninguém mais vai precisar sair de casa para marcar. Marca por telefone e não paga nada."Lula ressaltou ainda que o governo está adquirindo novos computadores e contratando pessoal para reduzir as filas. "Eu também logo, logo, estou na idade de ir para a fila do INSS, preciso cuidar, e agora", brincou. Questionado se o poder rejuvenescia ou deixava os presidentes mais velhos, Lula sorriu, sem fazer comentários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.