Lula: projeto do pré-sal não deve ser aprovado em 2010

No Rio, presidente afirmou que Senado fez 'bobagem eleitoral' ao tirar do Estado 'o que ele tem de direito'

Kelly Lima, da Agência Estado

19 de novembro de 2010 | 15h48

RIO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que não acredita que a Câmara consiga aprovar ainda este ano o projeto de lei sobre o novo marco regulatório do petróleo no Brasil. Para ele, o fato de o Congresso entrar em recesso no dia 17 de dezembro pode prejudicar a votação.

Em rápida entrevista já na saída do estaleiro Mauá, onde participou da cerimônia de lançamento de navio da Transpetro, Lula frisou que a proposta que está em trâmite não é a mesma elaborada pelo governo federal. Ele lembrou que a emenda acrescentada pelos senadores, que obrigou a volta da proposta à Câmara, prevê o rateio de royalties entre todos os Estados e municípios, independentemente de serem produtores ou não. "A proposta nunca foi de rateio. Fizeram uma bobagem eleitoral, agora nós temos que agir com seriedade. Não se deve tirar do Rio o que ele tem de direito. Tem que tudo ser feito de modo acordado", disse.

Lula afirmou que a votação do projeto "provavelmente vai ficar para a Dilma". "Mas ela entende bem deste projeto. Participou de toda a elaboração do marco regulatório, conhece bem e a fundo", disse. Ao lado do governador Sérgio Cabral, o presidente reafirmou o que já havia citado em relação à parceria com o governo do Estado, durante seu discurso na cerimônia. "Tenho certeza que esta relação de companheirismo será tão perfeita e boa quanto foi comigo." Ainda segundo Lula, o senador Lindberg Faria se reúne na próxima terça-feira no Rio de Janeiro, com participação do presidente da Câmara, Michel Temer, para discutir o tema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.